publicado por adm | Quinta-feira, 09 Setembro , 2010, 00:03

A Associação Brasileira do Alumínio (Abal) informou que mercado brasileiro consumiu 626,7 mil toneladas de produtos transformados de alumínio no primeiro semestre deste ano.


A cifra representa um aumento de 35,3% em relação as 463,1 mil toneladas consumidas nos primeiros seis meses de 2009, período que foi impactado fortemente pela crise econômico-financeira.

"Mesmo assim, se a comparação for feita com o primeiro semestre de 2008, ainda sem os efeitos da crise, o crescimento é de 17%", aponta a entidade.

 

De acordo com a Abal, o volume recorde registrado no primeiro semestre foi resultado do aumento do consumo de todos os produtos semimanufaturados, com destaque para Chapas (+28,5%), Extrudados (+45%), Fundidos (+43,9%) e Folhas (+32,4%), que juntos representam mais de 80% do mercado brasileiro.

 

"O mercado registrou um aumento nos principais setores da economia; na construção civil, o consumo do metal aumentou 37,5%; nos transportes, 43,4%; e no setor de embalagens, maior consumidor de alumínio, o crescimento foi de 26,1%", afirmou em nota Mauro Moreno, coordenador da Comissão de Economia e Estatística da ABAL.

Segundo Moreno, o volume registrado no primeiro semestre sustenta as previsões positivas da Abal de encerrar o ano com novo recorde de consumo, chegando a 1,289 milhão de toneladas.

 

Balança comercial

No primeiro semestre de 2010, o saldo comercial da indústria de alumínio foi de US$ 1,358 bilhão, o que corresponde a um incremento de 11,4% frente a mesmo período do ano passado.

As vendas externas da indústria brasileira do alumínio somaram US$ 1,822 bilhão, valor 18,9% superior ao apurado entre janeiro e junho de 2009. Já as importações encerraram o semestre com US$ 464 milhões, um aumento de 47,8%.

De acordo com as previsões da entidade, em 2010, as exportações do setor deverão totalizar US$ 4,050 bilhões, contra US$ 932 milhões das importações.

fonte:brasileconomico


pesquisar neste blog
 
links